Coaching – Vivendo um processo de profunda transformação

Caros amigos,

na última semana conclui um processo de Coaching iniciado há alguns meses por sugestão de meu amigo e orientador, o Prof. Dr. Gentil Lucena. Foi um intenso e transformador caminho de auto-conhecimento e de exploração de um vasto repertório de distinções tremendamente úteis em todas as esferas de minha vida. Ao final de nossas sessões minha Coach me pediu que escrevesse um relato sobre minha percepção do que se passou ao longo de nossa jornada. Quero compartilhar com vocês minha tentativa de passar para o papel pelo menos uma pequena parte do que experimentei ao longo das poderosas conversas e reflexões realizadas:

Cara Margarita, quando você me pediu que escrevesse um relato de minha percepção acerca da influência de nossas sessões de coaching sobre o observador que sou eu, comecei a refletir sobre o que dizer, a que fatos me ater e a quais transformações dedicar mais atenção. Isto porque meu juízo é de que foram vários os aspectos impactados por nossas agradáveis conversas. Lembro-me de nosso encontro preliminar, ocorrido na biblioteca da UCB, no qual eu comecei a mostrar-me como um observador tenso, preocupado, “pesado”, preso a conceitos e “verdades” que limitavam profundamente minhas possibilidades de ação. Já naquela conversa, eu me lembro, você iniciou uma exploração mais profunda de minhas inquietudes e me convidou a iniciar uma jornada de reflexão e descobertas sobre mim mesmo.

Como comentei contigo, já nas primeiras sessões muitas coisas me parecem ter sido rapidamente reposicionadas, abrindo-me novas e interessantes possibilidades de ação, tais como o trancamento do mestrado e a adoção de uma postura diferente no trabalho. Outros pontos foram sendo trabalhados mais gradualmente, como por exemplo: como tratar minhas expectativas ou como aprimorar minha disciplina. E ainda restou pelo menos uma questão sobre a qual não foi possível mergulhar de forma mais profunda devido ao tempo de que dispúnhamos, que é a minha relação conflituosa com Brasília. Mas hoje sinto que, mesmo que não tenhamos dedicado mais tempo para essa questão, ela acabou sendo indiretamente aprimorada como reflexo de todas as outras questões que abordamos. O que quero dizer é que entendo que minha relação com Brasília é hoje bem menos conflituosa do que era há alguns meses, e também credito isso às mudanças que o coaching fomentou no observador que eu sou. Talvez Brasília nunca venha a ser minha “amada amante”, mas creio ser possível estabelecer com ela uma relação respeitosa, pelo menos um “cessar fogo”.

Neste momento em que completamos nossas 10 sessões, sinto-me bastante seguro para afirmar que a contratação do Coaching foi, sem dúvida alguma, a melhor decisão que já tomei nos últimos tempos. Hoje sou uma pessoal mais segura, mais inteira e, sem dúvida, mais humana. Creio que hoje sou capaz de me entender um pouco melhor e, com isso, amplio também a minha capacidade de entender e acolher as pessoas a minha volta. Tenho evidências de que isso está ocorrendo no meu trabalho e na minha família, ambientes nos quais passo a maior parte do meu tempo.

Em algum momento de nosso percurso, lembro-me que te disse que gostaria de ser um ser humano melhor, mais solícito para com os outros. Bem, entendo que estou avançando nesta direção e os resultados disso são fantásticos. Sinto-me mais conectado com as pessoas com as quais interajo e vejo o quão mais efetivo e mais leve este tipo de conexão me torna.

Cabe salientar que todas essas transformações estão me direcionando a produzir um trabalho de pesquisa focado na dimensão emocional das pessoas no contexto de nossas organizações. Vejo nesse fato uma clara evidência de como o processo de Coaching foi fundamental para revelar as inquietudes mais profundas que habitam meu Ser, mas que estavam sufocadas e escondidas debaixo de algumas “armaduras” adquiridas ao longo dos anos. Hoje vejo com clareza que não criamos rotinas defensivas apenas em nossas organizações, as criamos em todos os contextos de nossas vidas e, quando não nos damos conta disso, colocamos em risco tudo aquilo que nos é mais valioso.

Por fim, só me resta agradecer a você e ao prof. Gentil, por todo apoio que me deram, e continuam me dando em minha trajetória, não só no Mestrado, mas na vida como um todo. O impacto das transformações que vocês estão ajudando a realizar não se restringem somente a mim, mas se estendem a todos aqueles que fazem parte de minha rede de relações e aos que fazem parte das redes dos que se relacionam comigo, e assim sucessivamente. Creio que esse é um excelente caminho para construirmos um mundo melhor, mas humano e mais rico em TERNURA.


MUITO OBRIGADO!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s