Os modelos mentais e os fantasmas de cada um

John: Papai, é ingenuidade acreditar em fantasmas?

Pirsig: Você não acredita em fantasmas, não é?

John: Não.

Pirsig: Nem eu. Falta-lhes matéria e eles não têm energia. Portanto, segundo as leis da ciência, eles só existem na mente das pessoas.

John: É.

Pirsig: Claro que as leis da ciência não contêm matéria nem energia e, portanto, elas só existem na mente das pessoas. É melhor ser completamente científico, sobretudo neste assunto, e se negar a crer tanto nos fantasmas quanto nas leis da ciência. Dessa maneira, você não corre riscos.

John: Ora, papai…

Pirsig: Não estou brincando. Tomemos o exemplo da lei da gravidade. Parece natural acreditar que a lei da gravidade existia antes de Newton. Seria insano pensar que até o século dezessete não havia gravidade.

John: Claro.

Pirsig: Então, quando começou a existir essa lei?

John: Não entendi.

Pirsig: O que eu quero saber é se você acredita que antes do começo da Terra, antes da formação do Sol e das estrelas, antes ainda do Big Bang, a lei da gravidade já existia?

John: Acho que sim.

Pirsig: Esta ali, sem massa nem energia, sem estar na mente de ninguém porque ninguém existia, nem no espaço porque tampouco existia espaço, nem em parte alguma. Existia, de todo modo, essa lei da gravidade?

John: Bom, não estou assim tão certo.

Pirsig: Se a lei da gravidade existia, honestamente não sei o que teria de fazer uma coisa para não existir. A lei da gravidade passa por todas as provas de inexistência havidas e por haver. Não consigo pensar em uma só condição de inexistência que essa lei não satisfizesse, ou uma condição de existência que ela satisfizesse. E você, no entanto, pensa que ela existia.

John: Eu teria que pensar um pouco mais no assunto.

Pirsig: Se você pensar, var dar voltas e mais voltas, até chegar à única conclusão racional e inteligente possível: a lei da gravidade não existia antes de Isaac Newton. Nenhuma outra conclusão faz sentido. E o que isso significa é que a lei da gravidade não existe em parte alguma… exceto na cabeça das pessoas! Ela é um fantasma! Somos rápidos quando se trata de destruir os fantasmas das outras pessoas. Acreditamos que elas são ignorantes, bárbaras e supersticiosas. Mas nós mesmos somos igualmente ignorantes, bárbaros e supersticiosos com relação aos nossos próprios fantasmas.

Robert Pirsig em “El arte del mantenimiento de la motocicleta”.

Extraído do livro “Metamanagement” de Fredy Kofman (págs. 245 – 246)

 

Que possamos aprender a reconhecer e nos mantermos conscientes acerca de nossos modelos mentais, questionando-os e revisando-os sempre que necessário.

 

Grande abraço,

 

Marcelo Mello

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s