La cima del cielo (Ricardo Montaner)

Olá queridos leitores,

 

hoje tive a imensa alegria de reencontrar, mesmo que virtualmente, minha mestra Ivonne Hidalgo, que ministrou um palestra emocionante, desde sua casa na Venezuela, para o Desafio Coaching 30 dias. E como não poderia faltar, ela cantou duas belas canções latino americanas, uma das quais eu compartilho com vocês: La cima del cielo.

 

 

Te extraño Ivonne!!!

 

Abraço,

Marcelo Mello

Anúncios

Trem-Bala (Ana Vilela)

Esta canção é uma das coisas mais singelas que já tive a privilégio de ouvir e lembra-nos o quanto de beleza pode habitar na simplicidade.

“Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu, é sobre escalar e saber que o caminho te fortaleceu.”

 

Forte abraço,

 

Marcelo Mello

Meu amigo Pedro (Raul Seixas)

Caríssimos,

há alguns dias, meu grande amigo Anatoli Ambrósio compartilhou via facebook esta obra prima do mestre Raul. Confesso que ainda não conhecia a canção e fiquei encantado, sobretudo com a profundidade da letra, que nos passa, de forma simples e bela, uma singela mensagem sobre a vida.

“Cada um de nós é um Universo…”

abraço,

Marcelo Mello

Astronauta (Gabriel o Pensador e Lulu Santos)

Meus caros,

sabem aqueles dias em que a vontade é gritar: “Parem o mundo que eu quero descer!!!”? Pois é, o sempre sagaz Pensador em parceria com o super talentoso Lulu expressam esse sentimento de forma perfeita nesta fantástica canção. Astronauta, tá sentindo falta da Terra, que falta que essa Terra te faz?

 

Abraço,

 

Marcelo Mello

Hallelujah (duas versões Jeff Buckley e Il Divo)

Queridos amigos,

hoje compartilho com vocês duas versões de uma canção profundamente tocante: Hallelujah.

A primeira delas é versão original da canção, escrita pelo compositor canadense Leonard Cohen, em uma brilhante e memorável interpretação do cantor americano Jeff Buckley:

Já a segunda é uma versão em espanhol, interpretada com muita beleza e emoção pelo grupo Il Divo, e cuja letra tem um cunho bem mais religioso que a versão original:

Abraço,

Marcelo Mello