Caracterizando a liderança VII – Fernando Saenz Ford no DIpLO Brasil

Caros Amigos,

no fim de Maio/2014 participei do último módulo do Programa DIpLO Brasil 2014/2014, organizado pelo LabCon – Laboratório de Conversas – e conduzido pelo sensacional coach argentino Fernando Saenz Ford.

Durante quatro dias, nos dedicamos a reflexão profunda sobre diversos temas relacionados à Gestão de si mesmo, de equipes e de sistemas, bem como conversamos sobre emoções e também sobre Liderança.

As distinções compartilhadas por Fernando foram muito impactantes e incrivelmente pertinentes tanto no contexto pessoal quanto na esfera organizacional/profissional de nossas vidas.

Entre tantos aportes significativos, gostaria de compartilhar dois, em especial, que buscam caracterizar o fascinante fenômeno da Liderança:

“A liderança surge quando há pessoas dispostas a assumir a responsabilidade inclusive por aquilo que não produziram com sua ação direta.”

“A liderança surge quando há pessoas dispostas a se comprometer com algo que ainda não tem ideia de como irão realizar.”

Creio que as distinções da Responsabilidade e o do Compromisso estão, de fato, no cerne do fenômeno da Liderança e que compreender e praticar tais distinções pode nos fazer avançar rumo a um modelo de Liderança efetivo nos complexos cenários em que atuamos hoje.

 

Grande abraço,

Marcelo Mello

Caracterizando a liderança VI – Peter Senge e a construção coletiva do futuro

Amigos,

compartilho hoje com vocês um vídeo no qual Peter Senge reforça sua visão sobre a Liderança, visão essa que já compartilhei aqui em um post anterior (clique aqui para ler).

Senge destaca dois aspectos inerentes à Liderança: sua natureza coletiva e sua capacidade de moldar o futuro.

atualização (24/03/2014): o vídeo não está mais disponível no Youtube. Para assistí-lo, acesse o link http://www.wobi.com/wbftv/peter-senge-my-definition-leadership (é necessário se cadastrar)

Grande abraço,

Marcelo Mello

Caracterizando a Liderança V – Porque ela é tão importante

Caros amigos,

o pequeno texto abaixo, extraído de um dos artigos que compõem o livro “Liderança baseada em Valores” não se propõe exatamente a definir o que vem a ser a Liderança, mas apresenta algumas de suas possíveis finalidades:

“A liderança é fundamental para levar o potencial ao fato, pois, ao mesmo tempo em que integra e alinha, reduzindo custos de transação entre os indivíduos, constrói o caminho para o sucesso porque abre mão do poder burocrático tradicional e utiliza a autoridade do cargo para exercer a orquestração das competências.”

grande abraço,

Marcelo Mello

Caracterizando a Liderança IV – Inspiração

Caros amigos,

sou seguidor do perfil de David Gurten no twitter (http://twitter.com/DavidGurteen). David é consultor, palestrante e facilitador de conversas na área de Gestão do Conhecimento e, entre outras formas de compartilhamento, ele envia, diariamente, frases interessantes sobre gestão do conhecimento, conversas, gestão de pessoas, etc.

Uma das frases compartilhadas na semana passada me chamou especialmente a atenção e julgo que ela merece figurar no rol dos posts que se propõem a tentar caracterizar o que vem a ser esse fascinante fenômeno da liderança:

“If your actions inspire others to dream more, learn more, do more and become more, you are a leader. (John Quincy Adams)

“Se suas ações inspiram as outras pessoas a sonharem mais, aprenderem mais, fazerem mais e serem mais, então você é um líder.” (John Quincy Adams)

Creio que essa caracterização da liderança contempla uma importante missão do líder: a capacidade de inspirar seus liderados a buscarem a evolução e o aprimoramento constantes, o que nos remete aos conceitos de liderança tranformacional e liderança servidora.

Nesse sentido, ao ler essa caracterização, também me lembrei da frase de encerramento do célebre discurso que o saudoso Steve Jobs proferiu para os formandos da Universidade de Stanford (assista ao discurso completo no vídeo abaixo): “Stay hungry, stay foolish” (Continue faminto, continue ingênuo).

Penso que todo líder deve buscar manter viva em seus liderados a sede de conhecimento e o desejo de superar seus limites, indo cada vez mais longe.

Stay hungry, stay foolish!!!

abraço,

Marcelo Mello

Caracterizando a liderança II – Peter Senge

Caríssimos,

compartilho hoje outra contribuição no sentido de caracterizar o que vem a ser essa tal liderança. Desta vez, quem nos brinda com sua brilhante visão e profundo conhecimento é o grande Peter Senge, autor do best seller “A quinta disciplina” e figura respeitadíssima nos meios acadêmico e corporativo.

A visão de Senge, extraída de um artigo escrito para a tradicional Harvard Business Review em 1997, aponta na direção de uma liderança menos centralizada e heróica, indicando que o caminho para que as organizações superem os desafios desse século XXI passa, necessariamente, pela construção de uma cultura de compartilhamento, tanto do conhecimento, quanto da responsabilidade pela condução dos processos de liderança.

Com a palavra, sir Peter Senge:

“Na era do conhecimento, nós iremos finalmente abandonar o mito dos líderes como heróis isolados, comandando suas organizações a partir do topo. Decisões tomadas de cima para baixo e de forma diretiva, podem até ser implementadas, mas reforçam um ambiente de medo, desconfiança e competição interna que reduz a colaboração e a cooperação. Elas fomentam a mera aceitação em lugar do verdadeiro comprometimento, contudo, somente o genuíno comprometimento pode fazer emergir a coragem, imaginação, paciência e perceverança necessárias para as organizações capazes de criar conhecimento. Por esta razão, no futuro, a liderança será distribuída entre diversos indivíduos e equipes, os quais compartilharão a responsabilidade pela criação do futuro de suas organizações.”

Extraído do artigo “Looking ahead: implications of the present”. Harvard Business Review 75.5 (1997), escrito por Peter Drucker, Esther Dyson, Charles Handy, Paul Saffo e Peter Senge.

 

Concordo em gênero, número e grau com as palavras de Senge, apesar de saber que ainda há um longo e tortuoso caminho a ser percorrido até que o colaboração, o compartilhamento e a confiança se consolidem como bases do modelo mental dominante em nossas organizações.

grande abraço,

Marcelo Mello (diretamente do Paraná)

Caracterizando a liderança I – Sincronicidade

Caríssimos,

durante meu exame de qualificação no Mestrado uma das questões que emergiu nas conversações de feedback foi: “por que precisamos tanto de Liderança?”

Creio que um caminho para tentar responder a essa instigante questão seja buscar compreender mais profundamente o que vem a ser a liderança, sobretudo no contexto atual. Sendo assim, decidi registrar e compartilhar aqui, neste espaço de criação de conhecimento, as caracterizações que estou encontrando ao longo de minhas leituras para o que vem a ser essa tal Liderança.

Segue abaixo a caracterização de Joseph Jaworski, fundador do American Leadership Forum e autor do livro Sincronicidade, do qual extrai o seguinte contribuição:

“Liderança é a liberação de todas as possibilidades humanas. Um dos requisitos principais para a boa liderança é a capacidade de inspirar as pessoas no grupo: movê-las, encorajá-las e colocá-las em atividade, depois ajudá-las a continuar centradas, focalizadas e operando com capacidade plena. Um elemento-chave dessa capacidade de inspirar é comunicar às pessoas que você acredita que elas fazem a diferença, que você sabe que elas possuem algo importante para dar. A confiança que você demonstra nos outros vai, até certo ponto, determinar a confiança que eles demonstram em si mesmos.”

Amigos, e vocês, o que pensam acerca deste fascinante tema chamado Liderança? Vamos juntos, compartilhar ideias e criar conhecimento.

abraço,

Marcelo Mello