A Lógica da Criação (Oswaldo Montenegro)

Por que me fez tão errado, se Dele vem a perfeição, sabendo ali quieto calado, que eu ia criar confusão?

 

 

Abraço,

 

Marcelo Mello

Anúncios

Perdas

Amigos,

há duas semanas eu e minha família fomos derrotados em uma enorme batalha, e junto com essa batalha perdemos muito mais. Foi embora o sorriso doce, a preocupação por vezes excessiva (própria de quem ama e cuida), a presença constante e aquela mão calejada de tanto trabalhar.

Ficamos sem a voz já cansada, mas sempre pronta para dar um conselho, a atitude firme e aquele comportamento teimoso, não raro acompanhado de uma insistência típica de quem não tem lá muita paciência para esperar.

Perdemos o chão, ficamos sem rumo e sem acreditar direito no que havia ocorrido!

Como consolo restou-nos a crença de que as dores e angústias humanas, que tanto a afligiram, agora já não a alcançam mais e que, de onde ela estiver, continuará a olhar por todos nós com o amor e o cuidado que sempre nos deu.

A música abaixo, do Padre Fábio de Melo, me parece expressar bem o momento que estamos vivendo e espero que também possa nos indicar o caminho para superarmos a dor e o vazio que se instalaram em nossos corações.

Como dizia o sábio escritor José Saramago, “o pior da morte é que antes estavas e agora já não estás mais…”.

Está muito difícil compreendermos e aceitarmos a sua ausência minha amada avó…

Marcelo Mello, saudoso neto de Benedita Alves.